domingo, 19 de dezembro de 2010

Canto Chorado - Bienal do Samba 1968

Conversando com uma amiga, lembrei de uma canção que tem uma letra incrível e recordo que quando fiz o 1° grau foi utilizada em uma aula de Português/Interpretação. Foi o 4º lugar na I Bienal do Samba, em 1968, uma resposta a cobrança feita pela ausência de sambas nos Festivais da Canção. Interpretada por Jair Rodrigues e Originais do Samba, a composição é do Billy Blanco.




Canto Chorado

O que dá pra rir dá pra chorar
Questão só de peso e medida
Problema de hora e lugar
Mas tudo são coisas da vida
O que dá pra rir dá pra chorar

No jogo se perde ou se ganha
Caminho que leva, que traz
Trazendo, alegria tamanha
Levando, levou minha paz
Tem gente que ri da desgraça
Duvido que ria da sua
Se alguém escorrega onde passa
Tem riso do povo na rua

Alegre é lugar de chegada
É triste com gente partindo
Tem sempre o adeus da amada
O riso chorado mais lindo
Eu posso cantar meu lamento
Também sei chorar de alegria
As velas no mar querem vento
No porto é melhor calmaria

Somente a palavra "sofrência"
Que em dicionário não tem
Mistura de dor, paciência
Que é riso e que é pranto também
Define o Nordeste que canta
O canto chorado da vida
Reclamam no Sul chuva tanta
Errou de lugar na caída

O que dá pra rir dá pra chorar
Questão só de peso e medida
Problema de hora e lugar
Mas tudo são coisas da vida
O que dá pra rir dá pra chorar




2 comentários:

João Esteves disse...

Hoje explorei melhor seu maravilhoso bolog, Marcia.
Essa sua iniciativa no sentido de recuperação da memória musical brasileira é de se aplaudir de pé, tá legal?
Tem de tudo aqui, do que dá pra rir e do que dá pra chorar. É, são tantas emoções...

Marcia Weber disse...

É muito bom ler isso, João. Aumenta a vontade de descobrir mais e compartilhar sempre.
Um grande abraço